Notícias

Publicado em junho 15th, 2017 | por Francis Weslen

Especial Coletivo 27: Covil, Human Interface e 1066

Bicho, saca só!  O Especial Coletivo desta semana traz um top 3 com brasileiro no pódio! Que tal jogos com personagens de cartoons oitentistas, ação cyberpunk e história britânica, todos sobre a sua mesa? Os escolhidos da semana são: Covil: The Dark Overlords, Human Interface: Be a Better Human e 1066, Tears to Many Mothers. De arrebentar a boca do balão, né? Dê uma olhada aí:

Covil: The Dark Overlords

Essa é uma belezura recheada de referências de desenhos animados dos anos 1980. Neste jogo, os meus, os seus e os nossos personagens favoritos lutam pela supremacia de regiões ao redor de uma cidade isolada. Cada jogador controla um Senhor das Trevas com poderes únicos. Além disso, uns minions da pesada defendem o mundo das malévolas hordas inimigas para trazer paz aos seus territórios.

O tabuleiro e seus componentes montados com os trabalhadores de cada dias

Neste jogo de gerenciamento de recursos e construção de cenários, você dispõe de: ataque, defesa e ouro. Covil: The Dark Overlords é dividido em 4 dias, cada um contendo 3 fases. A 1ª fase é de manhã e você reúne as suas tropas. Na 2ª fase, à tarde, você executa ações e faz isso até que todas as tropas estejam no chão. À noite, na 3ª fase, faz-se a dominação e limpeza, e você ganha ouro de acordo com seus territórios.

Covil: The Dark Overlords é um jogo de Luis Brueh, designer brasileiro. O jogo será lançado por aqui pela Mandala Jogos. Para 1 a 4 jogadores a partir de 13 anos, Covil tem duração de aproximadamente 45 minutos. Nós já jogamos este jogo e podemos garantir a qualidade. Ele estava em nossa lista de esperados para 2017 e em breve tem review fresquinho saindo aqui no site.

A meta inicial foi atingida nas primeiras 48 horas e a campanha vai até o dia 3 de julho. Agora é só garantir a sua cópia em português na sua loja preferida, pelo preço promocional de R$ 149,90. Esse pacote já vem com todos os extras do Kickstarter. Se preferir, pode garantir a sua cópia em inglês na página do projeto. Não vá bancar o Mestre dos Magos e desaparecer!  A versão do KS deve chegar em novembro deste ano e a nacional em dezembro. Reserve já o seu!

Human Interface: Be a Better Human

Agora precisamos falar sério. Human Interface: Be a Better Human é um cooperativo de miniaturas para 1 a 5 jogadores que mergulha num mortal mundo cyberpunk. Este é um lançamento da Postindustrial Games, para jogadores a partir de 14 anos e uma partida dura de 60 a 90 minutos.

Financiado em 4, sim, QUATRO horas, Human Interface: Be a Better Human tem um forte elemento de narração de história. Serve tanto como jogo base, quanto expansão de Human Interface: Nakamura Tower.

Que a batalha comece

Una forças para escapar de uma prisão de segurança máxima ilegal e junte provas contra os atos ilícitos de muitas corporações. Batalhe no mundo real e virtual simultaneamente e receba como prêmio prolongar um pouco mais a existência humana.

É possível jogar Human Interface: Be a Better Human em 3 modos: solo, cooperativo e combate. Cada jogador tem a sua agenda e deve lutar para segui-la. Há cenários pré-prontos com planos não-lineares que podem se ramificar de acordo com a escolha dos jogadores. O que você prefere: uma partida tranquila ou imersão profunda?

Com mais de 200% da meta atingida, você pode ajudar a financiar este projeto com £72, £96 ou £108 clicando aqui. O frete será de pelo menos £48, mas há a opção econômica (e demorada) por £15. A entrega está prevista para Março de 2018. Então, se você quiser ser um humano melhor, já sabe o que fazer.

1066, Tears to Many Mothers

Quer um jogo de cartas histórico e dinâmico? Um daqueles para 1 a 2 jogadores a partir de 10 anos? Um jogo que dura mais ou menos meia hora? Quer defender as forças saxônicas dos pagãos normandos? Ou você prefere pedir apoio da igreja numa cruzada contra os usurpadores saxões? Se você só respondeu “SIM”, estamos falando do jogo certo para a sua coleção.

1066, Tears to Many Mothers é um jogo de cartas assimétrico e tático, ao estilo Magic the Gathering, mas não é colecionável. Criado por Tristan Hall, o jogo segue os eventos de um ano crucial para a história inglesa. Cada jogador, seja como um normando ou saxão, junta suas tropas e recursos para superar inúmeros obstáculos. Tudo isso acontece antes que ambos os exércitos se encontrem no campo de batalha em Hastings.

Arte promocional do financiamento com a caixa e componentes

Essa belíssima produção promete arregimentar jovens e veteranos. Os nomes dos personagens foram extraídos do Domesday Book (o equivalente ao censo da época), que foi finalizado em 1086. Cada carta do jogo é inspirada em um personagem ou evento real envolvendo a Batalha de Hastings. O jogo é rápido e tático, e isso permite que o jogo não precise montar seu baralho. É só pegar as cartas, embaralhá-las e começar o jogo com uma certeza: só haverá um vencedor nesta batalha.

Com a meta já beirando os 200%, você pode se sentir parte da história e encarnar Guilherme II da Normandia ou Haroldo II. Contribua com £25 (uma cópia) ou £49 (duas cópias) e mude – ou não – o curso da história. O frete para estas terras deve girar em torno de £14, mas cada caso será calculado individualmente. A entrega está prevista para março de 2018. Enquanto o jogo não chega, vá treinando suas habilidades para encarar uma batalha épica.

Especial Coletivo

Vai ficar aí de bode ou vai botar a mão na carteira e aumentar a coleção? Diga nos comentários o que achou dos projetos desta semana. Até a semana que vem!

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Designer, viciado em games digitais, quadrinhos e financiamentos coletivos.



Voltar ao Topo ↑