Notícias Imersão BG: As Viagens de Marco Polo

Publicado em Fevereiro 6th, 2018 | por Emmanuel Deodato

Imersão BG: As Viagens de Marco Polo

Fala galera! Hoje adentramos ao mundo das viagens, macarrão, pizza e sim, rolagem de dado! Sintam-se convidados para essa jornada em As Viagens de Marco Polo, da dupla de designers Simone Luciani e Daniele Tascini. O jogo foi lançado aqui pela Devir.

Aventure-se pela Rota da Seda e recrie uma das mais icônicas viagens de todos os tempos. Quem sabe até escrever seu próprio livro? (Explicações no momento oportuno). Vamos conhecer um pouco mais sobre a história dessa viagem, alguns personagens e é claro o homem por trás da brincadeira – Marco Polo.

Marco Polo: o ícone e sua história

O mercador, explorador, embaixador e guia do TripAdvisor Marco Polo. Créditos ItalyMagazine

O querido Marco Polo, nascido em 1254 (apesar de não possuir data historicamente concisa) fora um explorador, mercador e embaixador veneziano. Talhou desde cedo suas aptidões com o pai e seu tio, Niccolò e Matteo Polo. Aqui já existem pitadas de imersão.

O pai do explorador fora um exímio mercador e construiu fama e fortuna em negociações com o Oriente. Assim, ele conquistou grande prestígio dentro da comunidade veneziana.

Apesar de ter vivido em Veneza, sua origem se faz um ponto de debate entre os historiadores. Para alguns, o berço de Marco Polo teria sido Constantinopla. Mas o fato principal é que sua família crescera em renome na cidade e ali o jovem teve boa parte de sua educação.

Nicclò e Matteo retornaram de uma viagem ao Oriente em 1269, se encontrando com o instruído Marco Polo. A família zarpou para a Ásia em 1271, vivendo uma série de aventuras que foram recriadas em seu livro.

Retornaram para Veneza em 1295 acumulando histórias, deuses orientais (uma referência que pode passar ao próprio Capitão Referência) e muito dinheiro. Principalmente em forma de gemas.

As Viagens para a Ásia: um pique-pega nas águas orientais

O incrível caminho de sua viagem. Créditos Encyclopedia Britannica

Acredite ou não, o título As Viagens de Marco Polo refere-se a um livro que narra as aventuras vividas pelo explorador em sua viagem. Apesar das inúmeras traduções atuais, se faz impossível atingir uma cópia inicial do livro, tendo se perdido em manuscritos antigos.

Marco Polo teria relatado suas memórias para Rusticiano de Pisa, enquanto ambos eram colegas de cela em Gênova. Detalhes dessa prisão virão à frente, aguardem.

O livro se inicia com a primeira viagem de seu pai e seu tio, sem a presença do infante Marco. Visitaram o príncipe Berke e adentraram à corte de Kublai Khan. Vai amarrando os personagens com o jogo, meu caro leitor.

Lá, Kublai Khan que nunca teria conhecido um europeu antes, fez um pedido aos irmãos: entregarem uma carta ao Papa. O grande Khan e fundador da dinastia Yuan, queria confessar seus pecados.

Bem, na verdade o Khan desejava receber a visita de cristãos instruídos nas diversas artes e ciências e um pouco de óleo para lamparina ungido em Jerusalém. Pedido que não poderia ser cumprido no momento.

A tensão aumenta: Marco Polo adentra em seu próprio livro

Um experiente Marco Polo e o olhar de quem está perdido. Créditos Biography

Na impossibilidade de cumprirem os desejos do Khan, os irmãos voltaram a Veneza. Lá conheceram o adolescente Marco Polo, com seus fulgurantes 17 anos idade. Assim, em 1271, os irmãos e Marco Polo embarcaram em uma viagem ao Oriente para cumprirem os pedidos de Kublai Khan.

Atravessando mares, cruzando desertos e movendo-se na Rota da Seda, os três exploradores atingiram seu objetivo. Eles foram recebidos por Kublai, três anos e meio após a partida de Veneza.

Tendo os três influência e respeito junto ao Khan, foram proibidos de deixar a China, integrando permanentemente a corte do líder. Para isso, foi necessária uma escapadela quando participavam do comitê de casamento do sobrinho-neto de Kublai. Eles navegaram até Ormuz e posteriormente alcançaram o porto de Trebizonda, no Mar Negro por terra.

A viagem como uma boa novela teve tempestades de areias, ladrões, mortes e muito suspense. Mas ao final, os três Polo voltaram para Veneza, em 1295, ostentando mais riquezas que um rapper americano.

Marco? Polo? O livro e a cela

Marco Polo atingindo seu objetivo

 

Tendo retornado para a cidade de Veneza em 1295, Marco Polo trouxe consigo além de histórias, uma riqueza impressionante. Nessa época, a cidade se encontrava em guerra com a República de Gênova. O que motivou o explorador a investir em certa força militar e auxiliar nas batalhas.

Entretanto, não sendo suficiente a prisão na corte do Khan, Marco Polo acabou por ser capturado pelos genoveses, provavelmente em 1296. E quem ele encontrou na prisão? Rusticiano de Pisa, um romancista e escritor, uma figura não muito conhecida por nossa terra tupiniquim.

Presos ao longo de anos, ambos se tornaram amigos e confidentes, e dessa relação nasceu o livro As Viagens de Marco Polo. Contando suas histórias e aventuras ao escritor, Marco Polo redigiu o que viria a se tornar um manuscrito importantíssimo na Europa. Para alguns, uma das fontes de ânimo para Cristóvão Colombo, já que uma cópia do livro viaja junto dos seus pertences. O livro pode ser encontrado em inglês no site do grupo Project Gutenberg.

As narrativas do aventureiro

O livro apresenta além das narrativas do aventureiro, informações cartográficas, como nomes chineses e japoneses. No famoso Fra Mauro Map de 1450, realizado pelo famoso cartógrafo italiano Fra Mauro, tem-se todas as referências contidas no livro.

Muitas dúvidas pairam sobre o livro, em dificuldade de se delimitar o que é verídico, do que foi acrescentado, romanceado pelo escritor. Entretanto, os relatos contidos no livro, eram à época, os mais precisos e aprofundados sobre a China. Inclusive sobre as moedas utilizadas por lá, o que conferiu credibilidade ao texto.

Marco Polo fora liberado no ano de 1299, retornando então para a cidade de Veneza. Lá sua família já havia se estabelecido com as riquezas provenientes da última viagem e compraram para o explorador, um palácio.

Em 1323 o aventureiro adoeceu, padecendo em sua cama. Sendo tratado com as possibilidades da época, atingira a morte em 1324. A cópia original de seu testamento pode ser encontrada na Biblioteca Marciana. A mais importante de Veneza e uma das maiores da Itália.

As Viagens de Marco Polo: uma viagem em tabuleiro

Chegar em Beijing é um ponto alto da jogatina. Créditos BoardGameGeek

O jogo de tabuleiro nos leva a imortalizar a preciosa viagem realizada pela família ao longo do mar, da terra, da Rota da Seda. Sempre contemplada por um bom comércio.

Os detalhes no jogo impressionam em um ótimo sentido para a imersão. As cidades, os nomes, a forma como se desenham as viagens, os personagens disponíveis. Tudo foi retirado diretamente do livro ou da época do querido explorador.

O mapa apresenta cidades icônicas para o roteiro: tem-se Veneza, Karakorum, Kashgar, Ormuz (no livro grafada como Hormuz). Todas cidades visitadas pela família e na qual narram-se aventuras.

Os personagens disponíveis estão ligados diretamente ao livro e à história do explorador, ou à época de sua existência. Berke Khan e Kublai Khan foram senhores de cortes visitadas por Marco Polo. Matteo, Niccolò e o próprio Marco são o trio Polo, condutores da viagem. Johaness Caprini e Guilherme de Rubruk foram viajantes e exploradores, contemporâneos ao próprio Marco Polo.

Tudo isso ambientado em uma arte quase “cartográfica”, de elegância primorosa, transformam cada jogo, cada rodada, em uma viagem repleta de imersão.

Considerações finais: um explorador, um comerciante e um grande legado

Muitos camelos, muitas moedas e muita revolta, aspectos da viagem no jogo. Créditos BoardGameGeek

Apesar de muitas discussões sobre a veracidade dos relatos do viajante, devemos assumir: a figura de Marco Polo se tornou conhecida mundialmente. Suas habilidades de exploração, dissiparam as névoas de Age of Empires II (ou Civilization) e revelaram o mapa.

O jogo é belíssimo, além de ser extremamente divertido de se jogar. Possui um grau de complexidade interessante, é desafiador e os personagens são balanceados com habilidades excelentes. É uma adição obrigatória às coleções.

Para vários jogadores está no Top 3 de alocação de dados e no Top 10 geral de muitos. Para tantos outros é top brincadeiras infantis!

As Viagens de Marco Polo é um jogo imersivo, que apresenta uma bela história de pano de fundo, recontada por nós jogadores a cada movimento. Podemos ir de Veneza para Alexandria, ou buscar a tão importante Beijing. Cada ação é repleta de elegância nesse jogo.

Marco Polo foi um explorador, um mercador, um aventureiro. Mas também, um contador de histórias, um narrador de distâncias e um cartógrafo de mapas desenhados pela lembrança.

Imersão BG

Muito obrigado a todos pelo carinho que a coluna vem recebendo! A cada manifestação de vocês vejo a importância que a história dos jogos exerce sobre nós. Não é apenas sobre se sentir dentro do jogo, mas entender o que se passa por trás do tabuleiro.

Na próxima semana outra viagem intensa, pelos pensamentos econômicos em uma realidade obscura.

Abraços!

Tags: , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor



Voltar ao Topo ↑