Notícias

Publicado em Janeiro 24th, 2018 | por Gilberto Guerra

Mecânica BG: Alocação de Trabalhadores

No texto de hoje falamos sobre a mecânica que possui muitos fãs. A favorita de vários jogadores, principalmente eurogamers. Integrante de vários jogos no topo do ranking da Ludopedia e da BGG: Alocação de Trabalhadores!

Essa mecânica consiste na seleção de uma ação individual de um conjunto de ações possíveis a todos os jogadores. Geralmente é selecionada uma ação por vez, em uma ordem de turno previamente estabelecida. Pode haver limitações para a quantidade de vezes que determinada ação pode ser utilizada por um jogador. Ou então, um encarecimento de seu custo. Muitos jogos com alocação de trabalhadores têm as partidas divididas em turnos, onde há um reestabelecimento de ações anteriormente usadas e/ou bloqueadas.

Nessa mecânica, a ação pretendida é selecionada, alocando a ela uma peça do jogo, podendo ser um Meeple ou um Token. Tematicamente damos o nome de “trabalhadores”. Os trabalhadores são sempre um recurso limitado durante a partida.

Sempre que você faz sua jogada, um Meeple trabalha duro por você!

Fácil de explicar, difícil de dominar!

Alocação de trabalhadores é uma mecânica muito intuitiva e fácil de explicar, até mesmo para novatos. a) Um trabalhador representa uma ação. b) As ações possíveis estão descritas no tabuleiro ou nas cartas.

Board Games com alocação de trabalhadores são, em sua essência, estratégicos. Os recursos que você coleta com seus trabalhadores raramente são para uso imediato. Estrategicamente, deve-se coletar recursos chaves para possibilitar ações melhores, fazer um upgrade em suas possibilidades de ações e ganhar a maior quantidade de pontos de vitória. As diversas possibilidades de combinações de ações, juntamente com elementos que podem se alterar a cada partida, o deixam sem receita pronta para vitória.

Indicações de jogos de Alocação de Trabalhadores

Seguem sugestões de jogos com alocação de trabalhadores, divididos por variação de mecânica.

Agricola e Stone Age

Alocação de trabalhadores clássica. Em Agricola temos uma diversidade crescente de opções de ações. Já em Stone Age, o nível de sucesso de sua ação é determinado por rolagem de dados. Ambos os jogos são punitivos, devendo alimentar sua família e aumentá-la de forma planejada.

Agricola de Uwe Rosenberg é um dos clássicos dessa mecânica

Keyflower e The Manhattan Project

Em ambos temos diferenciação entre os trabalhadores. Em Keyflower, a diferença são as cores, que limitam os trabalhadores que podem ser usados para lances em leilão, coleta de recursos, etc. Em The Manhattan Project, temos múltiplas classes de trabalhadores. Cada qual é necessária para ações específicas e com formas diferenciadas de obtenção.

Engenheiros em fábricas e cientistas em reatores, em The Manhattan Project

Viticulture

Nesse jogo as possibilidades de ações no tabuleiro variam conforme a estação do ano (verão ou inverno). Seguindo o ciclo real de produção, maturação e comercialização de vinhos.  

Em Viticulture você produz o seu próprio vinho

Caverna

Nesse jogo temos trabalhadores com valores diferentes, conforme o nível de sua arma, que se aprimora ao realizar determinadas ações. Quanto maior o valor do anão, maior a possibilidade de ações.

Uma fazenda em desenvolvimento em Caverna

As Viagens de Marco Polo e Euphoria

Aqui os trabalhadores são dados. Os valores dos dados podem limitar os espaços de alocação ou então os recursos obtidos.  Podem também ser punitivos. Em Euphoria pode-se obter um nível de conhecimento indesejado. Em Marco Polo pode-se ter que pagar uma taxa alta para alocação em espaço já ocupado por um rival.

Em Euphoria um trabalhador consciente de suas ações pode ser um problema…

Mecânica com problemas pequenos, frente a grandes qualidades

Mecânica bem representada em qualquer ranking, muito estratégica, intuitiva e de fácil explicação. Mesmo em um currículo aparentemente impecável, alocação de trabalhadores ainda recebe algumas críticas.

A primeira delas é a baixa interação entre os jogadores. Em alguns jogos com essa mecânica principal, pode-se sentir que na realidade são vários jogos solos compartilhando a mesma mesa. A forma mais comum de interação é o bloqueio de uma ação que outro jogador deseja. Mas, se isso ocorre com frequência, a estratégia do jogador bloqueador também fica prejudicada. Se a falta de interação é um problema para seu grupo, Keyflower é indicado, pois sua mecânica de leilão garante toda a interação que você precisa. Euphoria e The Manhattan Project também oferecem boas opções de interação de jogadores.

A segunda crítica é que a necessidade de análise a longo prazo, combinada à diversidade de ações possíveis consequentemente, causa Paralisia de Análise. Isso pode tornar as partidas demoradas. Se a AP é um problema, os jogos de alocação de trabalhadores com dados são indicados. As limitações impostas pelos valores dos dados reduzem as opções do jogador para o turno, reduzindo o AP.

Existem tantos bons jogos com alocação de trabalhadores que dificilmente um deles não o agradará. Deixe nos comentários dicas de jogos com esta mecânica e até a próxima.

Tags: , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor



Voltar ao Topo ↑