RPG

Publicado em setembro 26th, 2016 | por Rafa Almeida

Mighty Blade: fantasia medieval simples e fantástica

Mighty Blade é um sistema simples, da criação à execução. A primeira versão foi criado em 2004, por Tiago Junges da Coisinha Verde Editora. O sistema ganhou notoriedade com os anos, o que aumentou muito o número de jogadores. Uma característica, é que as duas primeiras edições do sistema sempre estiveram disponíveis para download. Agora, o criador Tiago Junges em parceria com Domênico Gay e Luciano Abel, vai disponibilizar para financiamento coletivo no Catarse a terceira edição do jogo.

bookscatarse

Uma linha do tempo que só evoluiu pra melhor

Pela simplicidade, é um sistema excelente para novatos, mas não significa que jogadores veteranos não vão gostar. Mighty Blade é um cenário de fantasia medieval, como estamos acostumados a ver em Dungeons & Dragons, porém, com regras reduzidas e sistema mais simples para resolver ações e conflitos.

O sistema é baseado em quatro atributos: Força, Agilidade, Inteligência e Vontade, e em três tipos de ações ou movimentos que são: Ação, Reação e Suporte. As habilidades são uma variedade de perícias e vantagens que diferenciam os personagens, tornando-os únicos de maneira bem simples. O sistema é parecido com o D20 System e utiliza sempre uma rolagem de um a três dados de seis faces (geralmente dois D6). Soma-se o resultado ao atributo chave ou perícia e compara com a dificuldade imposta pelo mestre durante o desafio. Se o resultado for igual ou maior há sucesso, caso seja menor o personagem falha no teste.

A criação de personagem é bem rápida. Em menos de 20 minutos temos um personagem sedento por aventuras, prontinho para enfrentar seus primeiros desafios. As raças que podem ser escolhidas são as tradicionais dos jogos de fantasia medieval, como: Humano, Anão, Elfo, Orc e Halfling.

mightypack2

Alguns exemplos de fichas do game

Depois de escolhida a raça, ela irá definir os atributos dos personagens. O humano tem mais pontos para serem distribuídos, enquanto as outras raças têm habilidades especiais. O elfo, por exemplo, tem seus sentidos apurados e cada raça tem a sua especificidade. Além dessas habilidades e pontos, outras habilidades podem ser escolhidas de acordo com cada raça, tornando os personagens mais singulares.

As classes a serem escolhidas também são as clássicas, como: espadachim (ou homem de armas), guerreiro, bárbaro, paladino, ranger, ladino, sacerdote e feiticeiro. Cada classe fornece bônus em dois atributos e concede alguns benefícios, um relacionado a armas e outro variado, mas sempre relacionado com a classe escolhida. Cada uma das classes possui perto de 20 habilidades para serem escolhidas. As evoluções dessas habilidades funcionam como os pré-requisitos básicos de D&D.

As magias aparecem neste jogo como habilidades e cada uma delas têm sua dificuldade (nível mínimo) para serem lançadas. Podem ser escolhidas das listas de classes caso o personagem seja um feiticeiro ou sacerdote.

Existe uma lista extensa de equipamentos, itens e ferramentas úteis que os personagens podem comprar ou escolher para começar a aventura, sempre em consenso com o mestre. Existem especializações de classes, multi classes e muitas outras formas de personalizar e otimizar os personagens.

O livro é completo, fornecendo uma explicação sobre o que é RPG (Role Playing Game), além de todas as informações necessárias para os jogadores e principalmente para o mestre que vai conduzir as campanhas. Informações sobre locais, resolução de conflitos, movimentos de combate e monstros. Vem tudo pronto para jogar, sem a necessidade de suplementos, inclusive existe a Mighty Blade dentro do jogo, item que dá nome ao sistema ou vice-versa, ele é único, pois sempre acerta o seu alvo!

O sistema segue a linha “Old School” e não perde muito tempo com detalhamento extenso de regras. É bem prático, com regras claras e diretas. Em apenas três páginas conseguimos entender todas elas. Ao invés de tentar cobrir todas possibilidades, o sistema estimula o bom senso do mestre e a criatividade dos jogadores.

tebryn

Mapa do Reino de Tebryn

É bem legal, e muito bom! Sem dúvida o sistema foca na fantasia medieval e segue a linha dos sistemas antigos tão aclamados por pelos jogadores da “velha escola”, como AD&D. E o melhor de tudo: devido à sua simplicidade é super indicado para jogadores iniciantes ou para iniciar jogadores. É preparado para colocar toda sua criatividade na mesa, então vale muito a pena!

Como dissemos, a terceira edição está em financiamento coletivo pelo Catarse, e dentre as recompensas, existe a versão impressa do livro que tem capa dura e conta com mais de 170 páginas. Além disso, é só entrar no site do Coisinha Verde e baixar a segunda edição do jogo, totalmente gratuita para testar e jogar o sistema.

Um sucesso decisivo a todos e bom jogo!

Tags: , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor



Voltar ao Topo ↑