Reviews

Publicado em Março 5th, 2018 | por Renato J. Lopes

Review – 4 Gods: treta de deuses

4 deuses se reuniram e decidiram construir um mundo. O deus dos anões, senhor das montanhas. O deus dos humanos, senhor das planícies. A deusa dos tritões, senhora da água. E por último, a deusa dos elfos, senhora das florestas. Os 4 se juntam em 4 Gods, jogo de ação simultânea e colocação de peças de Christophe Boelinger. O autor é o criador de jogos como Dungeon Twister, Fruit Salad e Archipelago, entre outros.

Componentes

A edição nacional está bem interessante, com tudo muito bonito e em um padrão de qualidade internacional. Vem uma sacola de pano para os tiles, os cartonados em uma espessura legal e miniaturas para os profetas, com caixinha para guardar. Muito legal!

O que vem na caixa: 1 tabuleiro (moldura com trilha divina), 92 fichas de terreno dupla-face, 56 miniaturas de profetas, 4 caixas de armazenagem dos profetas, 8 fichas de cidades lendárias dupla-face, 4 fichas de módulos de partidas, 4 fichas de deuses, 1 saco de tecido, 1 ampulheta e 1 livro de regras.

Produção impecável do jogo

O jogo

Os jogadores em 4 Gods, representam emissários de um dos deuses criadores, tentando marcar a maior quantidade de pontos de influência divina (ID). Quem conseguir mais ao final do jogo, vence.

Preparação do jogo

Monte o tabuleiro do mundo com as 4 partes da moldura do mundo. Cada jogador deve sentar em um dos lados do tabuleiro. Separe as fichas de cidade lendárias viradas para o lado normal visível.

Em seguida, são escolhidos os módulos de jogo. O jogo apresenta módulos diferentes para se jogar que variam de acordo com a quantidade de jogadores e podem ser combinados. Em 2 jogadores cada um pode escolher jogar com 1 deus (13 peças de cada) ou 2 deuses (10 peças de cada). Em ambos os casos, eles vão ter 20 espaços para descartar peças. Em 3 jogadores, cada um tem 13 peças e em 4, 10. Nos dois casos cada jogador terá 10 espaços de descarte.

Existem ainda os módulos de jogar com os deuses abertos ou fechados, e a possibilidade de jogar em tempo real ou em turnos. Esses módulos podem ser combinados. Primeiro se escolhe uma opção com número de jogadores, depois se os deuses vão ser abertos ou fechados e ainda se vai ser em tempo real ou em turnos.

Depois de escolhido os módulos e cada jogador ter recebido os seus componentes, todas as peças de terreno são colocadas no saco preto. Se for jogado em tempo real, cada jogador pega 2 peças, uma em cada mão. Se for em turnos, os jogadores começam sem peças. Se for começar com os deuses ocultos, eles já são sorteados no início do jogo e cada jogador pega as peças de um deus. Isso pode fazer com que as peças de profetas sejam diferentes do seu deus que só será revelado no final do jogo. Se for com os deuses abertos, eles ficam em um espaço no tabuleiro com as cartas e peças.

Os deuses estão loucos para criar um novo mundo

As ações

Durante o jogo, os jogadores poderão realizar algumas ações. Se for no modo tempo real, eles fazem tudo isso ao mesmo tempo. Se for no modo em turnos, cada jogador terá o tempo da ampulheta para fazer qualquer quantidade de ações. Isso dá cerca de 30 segundos.

1- Colocar uma ficha de terreno no Mundo

Coloque uma das fichas de mundo da sua mão, tocando em ao menos duas linhas laterais já presentes do Mundo. Nenhum lugar do tabuleiro pertence exclusivamente a um jogador, as peças podem ser colocadas em qualquer lugar. Essa ficha deve respeitar o formato do mundo, encaixando as peças com terrenos iguais, seja oceano, planície, floresta ou montanha.

Coloque uma peça, respeitando os terrenos vizinhos

2- Descarte uma peça de terreno em sua área

Se uma peça não encaixar ou o jogador não conseguir colocar em algum lugar do tabuleiro, ele coloca essa peça no seu espaço de descarte.

Descarte uma das peças de terreno em sua área

3- Pegar fichas de evento

Quando o jogador tiver com as mãos vazias, ele pega duas novas fichas do saco, uma para cada mão.

Pegue duas novas fichas

4- Trocar a face visível de uma ficha de terreno da área de descarte

A qualquer momento, o jogador pode virar o lado de uma ficha de terreno de sua área de descarte ou de outro jogador. Uma de suas mãos deve estar livre para realizar esta ação. Caso puxe a ficha de outro jogador para você, cruzando o mundo, essa ação é considerada pegar uma ficha de terreno de uma área de descarte.

Vire uma peça de qualquer lugar

5- Pegar uma ficha de terreno de uma área de descarte

Se ao menos uma das mãos estiver vazia, o jogador pode pegar uma ficha da sua própria área de descarte ou de outro jogador. Caso pegue de outro jogador e a peça não sirva em nenhum lugar, ela vai para a zona de descarte de quem pegou por último. Se não for possível colocar na sua área de descarte, ela volta para o lugar de origem. Se o lugar de origem estiver lotado, ela volta para o saco.

6- Escolher um deus (somente para módulo deuses abertos)

Se o modo de escolha for com os deuses abertos, os jogadores podem em sua vez, escolher um dos deuses. Para isso, ele pega a ficha do deus e a caixinha de profetas do respectivo deus.

Escolha já o seu deus!

7- Colocando um profeta

Ao colocar uma peça de terreno, o jogador pode colocar um profeta, em um dos terrenos da peça, somente um dos tipos de reino. Não é permitido colocar na divisa. Mas, isso somente depois de escolher um dos deuses. Quando acabarem os profetas, é possível mover os profetas colocados em outras peças ali, mas nunca das cidades lendárias.

Os profetas vão te dar muitos pontos

8- Construindo uma Cidade Lendária

Depois de ter escolhido um dos deuses, o jogador pode construir uma cidade lendária. Ela deve estar ligadas a duas linhas laterais já existentes. A ficha de cidade lendária é circular e não conta como linha lateral para colocação de outras peças. Ao construir a cidade, é preciso colocar um profeta de sua cor na cidade. Se não tiver mais, pode pegar de algum outro lugar do terreno.

Construa cidades lendárias, mas com cuidado

9- Destruir uma Cidade Lendária

Caso algum jogador tenha uma peça que encaixe perfeitamente no lugar de uma cidade lendária, ele pode tirar a ficha de cidade e colocar a sua frente com o lado dela destruída. Depois, ele pode colocar um dos seus profetas sobre a ficha de terreno. Uma garantia de que sua cidade não será destruída, é ela estar cercada de todos os tipos de terrenos possíveis, ou estar ligada a quinas com dois terrenos diferentes.

Destrua cidades dos outros deuses e ganhe mais pontos

Final de jogo

A partida termina quando uma das condições final de jogo acontecer: o mundo estar completo, a sacola estiver vazia ou todos os jogadores passarem a vez. Se a partida terminar com o mundo completo ou a sacola vazia, os jogadores terão o tempo de 30 segundos vezes o número de jogadores para realizar qualquer ação. Quando o tempo acabar, os jogadores não poderão realizar mais ações e seguem para a contagem dos pontos de Influência Divina.

Pontuação final

A pontuação final acontece em 4 etapas. Utilize um dos profetas dos jogadores que está na caixa para marcar:

  1. a) Cidades Lendárias: cada cidade no tabuleiro com o profeta do jogador, dá 5 pontos. Cada cidade lendária destruída na frente do jogador, vale 5 pontos.
  2. b) Profetas e Reinos: cada reino com mais de 2 peças irá pontuar. O jogador que tiver mais profetas em cada reino, ganha uma quantidade de ID igual ao número de fichas de terrenos vazios do Reino. Só serão contadas fichas que não tenham um profeta sobre o tipo de terreno do Reino. Em caso de empate, os jogadores empatados ganham a mesma quantidade de pontos. Marque os pontos e vá retirando os profetas do tabuleiro.
  3. c) O deus com o maior reino: cada jogador conta o maior reino correspondente ao seu deus. Conte a quantidade de fichas de terreno deste Reino e anuncie-a. O maior Reino ganha 15 ID, o segundo 10 ID e o terceiro ganha 5 ID.
  4. d) Maior quantidade de reinos: da mesma forma, os jogadores contam quantos reinos cada deus possui. Quem possuir mais ganha 15, o segundo ganha 10 e o terceiro ganha 5.

Quem fizer mais pontos, ganha!

Considerações

4 Gods é um jogo que tenta inovar na colocação de tile placement. Ele apresenta uma variedade maior de cantos para encaixar as peças na tentativa de deixar o puzzle mais complexo e diferente. A partida em tempo real é bem divertida e caótica, o que pode não agradar a todos. Por isso, existe uma versão em turnos que acaba sendo uma corrida para realizar ações, mas os jogadores podem pensar enquanto não for a sua vez. Como cada turno de jogador leva 30 segundos, pelo menos dois minutos para se pensar.

A possibilidade de jogar com deuses ocultos e variações de quantidade de jogadores, também é uma ótima novidade que o autor apresenta com 4 Gods. Isso ajuda o jogo a rodar bem em qualquer quantidade de players, apesar de para mim com 2, jogando com 2 deuses é o mais interessante.

A arte dos deuses é muito bonita e incrível! Dá vontade de fazer um quadro com a imagem da capa da caixa. Os tiles do mapa que não ficaram lá aquelas coisas, mas nada que atrapalhe o jogo.

O que pegou para mim foi que o autor criou um mecanismo que acabou atrapalhando um pouco na fluência do jogo. Porque no começo, é muito fácil encaixar as peças, principalmente utilizando os cantos do mapa. Mas, com o passar das rodadas, fica bem complicado e difícil de encaixar peças. Com mais de dois jogadores então, vai acabar ficando um ou dois tentando encaixar peças, enquanto os outros aguardam a resolução do final. Talvez se os tiles tivessem menos cantos como em outros jogos do estilo, o final de jogo seria mais legal. Ou então se houvessem mais peças, já resolveria o problema.

O tema também é um ponto fraco do jogo. Os deuses não têm nomes, não se sabe o motivo de cada um ou algo a mais. Simplesmente são 4 deuses para cada raça, assim no seco.

Se você procura por uma opção diferente de tile placement com jogo em tempo real (ou tempo cronometrado), 4 Gods foi feito para você!

Dica de estratégia

A dica é pense com muito cuidado quais peças você vai encaixar. Evite se travar, colocando cantos diferentes em quinas próximas. Talvez, começando preparando bem os cantos, o resto fique mais fácil de montar.

Cuidado ao construir cidades. Os melhores lugares são aqueles que você sabe que não vai ser possível colocar uma peça. Fique atento aos profetas dos outros jogadores e tente pontuar em todos os terrenos possíveis.

Evite a fadiga, viu que não dá pra colocar mais peças, termine o jogo e faça a pontuação. Vale a pena manter o jogo saudável e divertido do que entediar toda a mesa.

O que gostei em 4 Gods

  • Módulos muito interessantes de se jogar;
  • Roda bem em qualquer quantidade de jogadores;
  • Bela arte dos deuses.

O que não gostei em 4 Gods

  • Peças com muitos lados diferentes para encaixar. Aumenta rejogabilidade, mas diminui a possibilidade de fechar o mundo com as peças.
  • Falta de profundidade no tema.

Indicado para

Fãs de jogos de colocação de peças, jogos em tempo real e jogos de mitologia.

Tags: , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Publicitário, viciado em jogos de miniaturas, sonha em trocar todos os seus bens por personagens raros de Zombicide.



Voltar ao Topo ↑