Reviews

Publicado em novembro 13th, 2017 | por Francis Weslen

Review – Catan: um clássico ou só mais um jogo qualquer?

Review – Catan: um clássico ou só mais um jogo qualquer? Francis Weslen
Compreensão das Regras
Componentes
Arte
Estratégia
Envolvimento
Rejogabilidade

Summary:

4.2


User Rating: 0 (0 votes)

Se hoje chegamos aqui no mundo dos board games modernos e temos tantas opções, muito disso se deve ao vovozinho, Catan. Quando ele chegou aqui era tudo mato e conquistou muita gente, além de ter inspirado outros tantos a criarem jogos. Mas ele é tudo isso mesmo? Vale a pena tê-lo em sua coleção? Ou é só mais um joguinho qualquer? Leia o review e tire suas próprias conclusões.

Componentes

Os componentes variam de edição para edição. Só no Brasil, houveram duas edições produzidas pela Grow. Ambas têm miniaturas de plástico das aldeias, das cidades e das estradas. O que mudou foi o formato da caixa e os componentes de papel.

Enquanto a versão antiga era uma caixa retangular e tinha componentes de cartonado resistentes, a segunda deixou a desejar. A caixa é quadrada, mas as peças do mapa são bem ruins. Com o tempo elas ficam envergadas e fica difícil até encaixá-las. Além disso, a versão antiga chegou a ser vendida por menos de cem temers. A atual chega na faixa dos R$ 200.

O que vem na caixa: 19 hexágonos de terrenos; 6 peças de mar; 18 marcadores numéricos circulares; 95 cartas de recursos (19 de cada recurso: minério; trigo; madeira; ovelha e tijolo); 25 cartas de desenvolvimento (14 cartas de cavaleiro; 6 cartas de progresso; 5 cartas de pontos de vitória); 4 cartelas de custos de construção; 2 cartelas especiais: “Maior Estrada” e “Maior Cavalaria”; 16 cidades (4 de cada cor); 20 aldeias (5 de cada cor); 60 estradas (15 de cada cor); 2 dados; 1 ladrão; 1 manual de regras e 1 almanaque.

Os componentes da edição antiga de Catan são melhores que a recente

O jogo

Em Catan, cada jogador é um colonizador tentando dominar a ilha e fazer 10 pontos de vitória primeiro. Os pontos são conseguidos ao construir aldeias e cidades, além de cartas de desenvolvimento e as duas conquistas: Maior Estrada e Maior Cavalaria. Para realizar isso, será preciso coletar os recursos do jogo: tijolo, madeira, ovelha, trigo e minério. Também será preciso negociar recursos com os jogadores, ou trocar itens iguais por novos com o jogo. Mas vamos ver mais detalhes sobre isso tudo depois.

Preparação do jogo

Existem algumas formas de se preparar o Catan. A inicial vem no manual e é recomendado para jogadores iniciantes. Nela, o deserto fica no centro do mapa e as letras seguem uma sequência lógica no tabuleiro. No modo experiente, os hexágonos de lugar e de números são sorteados e colocados de forma aleatória, assim como os tiles de mar.

Em qualquer uma das formas, a miniatura do ladrão começa no tile do deserto. Cada jogador inicia o jogo com 2 aldeias e 2 estradas, ou seja, todo mundo começa com 2 pontos. Os jogadores rolam o dado para decidir o primeiro. Ele coloca uma aldeia e uma estrada ligada a ela. A aldeia deve ser colocada em uma intersecção de tiles. Ficando conectada a dois ou mais tiles.

Em seguida, em sentido horário, os outros jogadores colocam uma aldeia e uma estrada. Depois, começando pelo último jogador, cada jogador coloca uma segunda aldeia com estrada, recebendo os recursos dos tiles ligados a essa aldeia. Todos fazem o mesmo, mas dessa vez, em sentido anti-horário.

Os marcadores de Maior Estrada e Maior Cavalaria são colocados ao lado do tabuleiro. Também são separadas e colocadas de face para cima as matérias-primas, divididas por tipo e colocadas no suporte de cartas. Por fim, embaralhe e coloque as cartas de desenvolvimento, viradas para baixo no suporte de cartas. Deixe de lado os dados.

Tudo preparado para a colonização de Catan

As rodadas

As rodadas de Catan são muito simples. A partir do primeiro jogador, seguindo em sentido horário, cada jogador tem um turno. Ele consiste em produzir, negociar e construir.

Produção

O jogador da vez rola os dados.O resultado da soma deles determina o que acontece a seguir. Se vai haver produção, ou será movido o ladrão. Se sair qualquer número, exceto o 7, acontece a produção.

O jogador que possuir uma aldeia ou cidade localizada em uma intersecção ligada a um tile com o número indicado, recebe recursos de acordo com a quantidade delas conectadas ao tile que produziu. Cada aldeia produz 1 recurso e cada cidade, 2.

O jogador que tiver aldeia ou cidade nas áreas de produção recebe os recursos de lá

Caso saia o número 7, o ladrão é ativado e acontece as seguintes coisas na sequência: qualquer jogador que possuir mais que 7 recursos na mão, deve descartar metade (arredondada para baixo). Em seguida, o jogador da vez, move o ladrão para um tile e pode roubar uma mercadoria aleatória da mão de algum dos jogadores que possuírem uma aldeia ou cidade ligadas aquele espaço. Enquanto o ladrão permanecer ali, aquele tile não produz.

Além de roubar um recurso, aquele espaço não produzirá enquanto o ladrão estiver por ali

Negociar

Existem duas formas de negociação: entre jogadores e comércio marítimo. O jogador da vez pode trocar cartas de matéria-prima como quiser com os outros jogadores, aceitando propostas ou fazendo contrapropostas.

O comércio marítimo pode acontecer, mesmo que o jogador não possua uma cidade ligada a portos. Nesse caso, a troca acontece na proporção 4:1, ou seja, 4 de um mesmo tipo, por um outro tipo qualquer. No tabuleiro existem regiões de porto que melhoram essa troca. Pode ser 3:1, ou 2:1, mas nesse caso, é 2 de um tipo específico e a vantagem só existe para o jogador que possuir uma cidade ligada a aquele lado de porto.

É preciso negociar para ter muitos recursos

Construir

Nessa fase o jogador pode aumentar pontos de vitória, melhorar sua produção, aumentar sua rede de estradas e adquirir cartas de desenvolvimento. Você pode construir quantos deles quiser e puder na sua rodada.

a) Estrada

Para construir uma estrada, o jogador utiliza 1 tijolo e 1 madeira. Ela deve ser colocada adjacente a outra estrada ou construção sua. Assim que ele fizer a quinta estrada contínua, ele recebe o marcador de estrada mais longa que vale 2 pontos, mas se alguém fizer uma estrada maior que a dele, pega o marcador para si.

A estrada ajuda na construção de aldeias e cidades. Quem tiver a maior estrada ganha 2 pontos

b) Aldeia

Para construir uma aldeia é preciso de 1 tijolo, 1 madeira, 1 ovelha e 1 trigo. Ao colocar uma nova aldeia, é preciso respeitar a regra da distância. Só se pode construir uma aldeia

numa intersecção se as três interseções adjacentes não estiverem ocupadas por outras aldeias e/ou cidades. Essa nova aldeia tem que estar ligada a uma de suas estradas. Cada aldeia vale 1 ponto.

A aldeia vale 1 ponto e nunca pode ser construída sem uma estrada adjacente

c) Cidade

Para construir uma cidade é preciso de 3 minérios e 2 trigos. Ela é uma evolução de aldeia e a substitui. Além de dar 2 pontos, ela produz 2 recursos na fase de produção.

Evoluir sua aldeia para cidade garante mais produção e pontos

d) Desenvolvimento

Para comprar uma carta de desenvolvimento, o jogador usa uma minério, uma ovelha e um trigo. Depois disso, retira uma do monte, sem revelar qual é. Existem três tipos diferentes de cartas de Desenvolvimento: Cavaleiro, Progresso e Pontos de Vitória. A carta de Cavaleiro permite mover o ladrão e roubar um recurso onde ele parar  (como quando sai o 7 no dado). As cartas de progresso são ações especiais e os pontos de vitória ajudam a ganhar o jogo.

O jogador pode usar uma carta de desenvolvimento a qualquer momento de seu turno, mas tem que ser uma adquirida na rodada anterior. A de Pontos ele pode guardar escondida e só revelar para ganhar o jogo. Com a de Progresso, ele realiza o que diz na carta e descarta ela do jogo. A de Cavaleiro, depois de mover o ladrão, ele coloca a carta na sua frente.

As cartas de desenvolvimento

O jogador que conseguir ter em sua frente 3 cartas de Cavaleiro primeiro, pegar o marcador de cavalaria que vale 2 pontos. Caso algum outro tenha mais Cavaleiros que ele, pega o marcador.

Final de jogo

Quando um jogador alcançar dez pontos entre construções, marcadores e cartas de desenvolvimento, ele vence a partida que se encerra imediatamente.

O jogador laranja completou 10 pontos, usando construções, cartas e também por ter a maior estrada

Considerações

Esse clássico sempre vê mesa por aqui. Catan é o tipo de jogo que você precisa ter em sua coleção, pois além de tradicional, é um ótimo jogo. Joga bem com jogadores novos ou experientes. Tem muita estratégia e um bom tanto de aleatoriedade, pelo uso de dados e das cartas de Desenvolvimento.

Não diria que ele entraria em um top 10 de melhores jogos de todos os tempos, mas quem sabe na lista de jogos para novos jogadores?

Ele é leve na medida certa, tem uma ótima negociação e cada partida vai ser diferente, a começar pelo setup. Apesar de ter uma linha estratégica a ser feita para conquistar os pontos, sempre vão acontecer negociações diferentes a cada jogo.

Ele perdeu um pouco de espaço por aqui por conta de organizarmos campeonatos regionais e já ter visto muita mesa. Outra coisa que incomoda, é que em alguns setups, a partida pode ficar um pouco mais demorada. Isso tudo, aliado à chegada do Stone Age deu uma ofuscada nele, mas continua um clássico!

O que gostei em Catan

  • Estratégico
  • Mecânica bem desenvolvida;
  • Boa rejogabilidade.

O que não gostei em Catan

  • Partidas com mapas muito aleatórios podem demorar muito.

Indicado para

Fãs de jogos de dados, jogos estratégicos, jogadores iniciantes e experientes.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Designer, viciado em games digitais, quadrinhos e financiamentos coletivos.



Voltar ao Topo ↑