Reviews

Publicado em fevereiro 19th, 2017 | por Renato J. Lopes

Review – Coup: que mané “Golpinho” o quê?

Review – Coup: que mané “Golpinho” o quê? Renato J. Lopes
Complexidade das regras
Componentes
Arte
Estratégia
Envolvimento
Rejogabilidade

Summary:

3.8


User Rating: 4.3 (3 votes)

Era apenas um grupo de amigos tentando se divertir. A caixa era bonita, atraente e pareceu ser um bom jogo pela sinopse. Quarenta minutos depois, essas pessoas saíram da sala e nunca mais se falaram. Tudo por causa de Coup, do francês. Em é Golpe, aquele tipo de tramoia que os políticos fazem por aí. Neste aqui, você assumirá papéis de importantes personagens da aristocracia, tentando tirar de jogo os outros jogadores. Blefe com maestria e mostre que ninguém é mais golpista que você! Não é à toa que é o jogo preferido do atual presidente de um certo país do carnaval.

Ficha Tecnica Coup

Componentes

Uma bela produção da Mandala Jogos (antiga Funbox Editora). As moedas que ficaram um pouco difícil de tirar e algumas saíram com um pequeno dano. Mas, a arte do jogo é linda e a qualidade de impressão é ótima. E pra ser ainda melhor, vem com a expansão “A Reforma”, que já acrescenta uma boa rejogabilidade para o jogo.

Review-Tabula-Quadrada-Coup (2)

Produção caprichada

Preparação e quantidade de jogadores

O jogo possui 5 personagens básicos e o Inquisidor. Para jogos com até 6 jogadores são utilizados 3 cópias de cada um dos personagens. Caso deseje jogar com o Inquisidor, substitua ele pelo Embaixador. Em jogos com 7 ou 8 jogadores, utilize 4 cópias. Em 9 ou 10, 5 cópias dos personagens.

Jogo e objetivo

Basicamente é um jogo de blefe. As cartas contém personagens e cada um deles tem habilidades diferentes. A grande sacada é que você pode se passar por personagens que não tem, mas corre o risco de ser desmascarado e perder uma influência.

No início do jogo cada jogador recebe duas moedas e duas cartas, também chamadas de influências. Para ser o vencedor precisa eliminar as influências dos outros golpistas e ser o último na mesa. Simples assim. Seja o maior golpista da mesa e saia vencedor!

Review-Tabula-Quadrada-Coup (5)

Mostre que você manja dos golpes

A rodada

Na sua vez, o jogador poderá fazer uma ação, sendo elas: renda, ajuda externa, golpe de estado (Coup!) ou ação do personagem. Depois disso, é a vez do jogador à esquerda e assim sucessivamente.

Renda

O jogador pega uma moeda do banco. Esta ação não pode ser bloqueada.

Ajuda Externa

O jogador pega duas moedas do banco. Pode ser bloqueado pelo Duque.

Golpe de Estado (Coup!)

O jogador paga 7 moedas e elimina uma das influências de outro jogador. Esta ação não pode ser bloqueada, nem contestada e é obrigatória quando o jogador possuir 10 moedas ou mais.

Review-Tabula-Quadrada-Coup (3)

Junte seus tesouros para tirar os outros jogadores

Ações dos Personagens

Cada personagem possui uma ação. O jogador executa sem mostrar sua carta. Essas ações e as de bloqueio executadas por personagens podem ser questionadas a qualquer momento do jogo. Nesse caso o jogador é obrigado a mostrar a carta. Se ele estiver mentindo, perde uma influência. Se não, o jogador que contestou que perde a carta.

A contestação é sempre resolvida antes da ação. O jogador só pode realizar as ações de bloqueio quando ele sofre a ação. Ele não pode utilizar o poder da Condessa para bloquear o Assassinato de outro jogador.

a) Duque: declare que possui o personagem e pegue 3 moedas do banco. Ele bloqueia a ajuda externa.

b) Assassino: pague 3 moedas para assassinar a influência de um jogador. Caso ele seja contestado pelo jogador que sofreu a ação e estiver falando a verdade, o jogador que sofreu o assassinato perde as duas cartas.

c) Capitão: ele pode extorquir outro jogador, pegando duas moedas dele. Ele pode bloquear a extorsão de outro jogador.

d) Embaixador: ele pode pegar duas cartas do baralho e em seguida devolver duas. Ele pode escolher livremente quais ficam na mão e quais são descartadas. Ele também pode bloquear a extorsão do Capitão.

e) Condessa: a única ação que ela possui é bloquear o Assassino.

f) Inquisidor: ele pode pegar uma carta do baralho e se quiser, trocar com uma de suas influências. Ele também pode olhar uma carta de adversário e forçar uma troca. Ele também bloqueia a extorsão.

Review-Tabula-Quadrada-Coup (6)

Diga-me com qual personagem jogas, que te direi quem és!

A Reforma

O jogo ainda vem com a expansão “A Reforma”. Ao jogar com ela, entra o Asilo e as cartas de religião, em que cada jogador é de uma das duas religiões: católico ou protestante. A partir daí, só é permitido realizar ações contra um jogador da religião contrária. Para atacar da mesma, só se todos os jogadores forem da mesma religião.

Entram também duas novas ações: converter e pegar o dinheiro do asilo. Para converter é preciso pagar ao Asilo 2 moedas para converter a si mesmo, ou 3 para converter outro jogador. Para pegar as moedas do asilo, basta declarar que não é o Duque.

Review-Tabula-Quadrada-Coup (8)

Converta-se para sobreviver, ou será convertido

Final de jogo

Quando restar apenas um jogador com influências na mesa, o jogo termina e este jogador é o grande vencedor.

Review-Tabula-Quadrada-Coup (1)

O golpe está em andamento

Considerações

É um jogo muito legal, principalmente para jogar em galera, eventos, festinhas e apresentar novos jogadores. Durante muito tempo foi o jogo que mais joguei. Ele é pequeno e dá pra levar facilmente. Quando enjoar de jogar com os personagens normais, dá pra colocar o Inquisidor. Cansou disso, coloque a religião e o jogo vai parecer novo.

Ele não demanda muita estratégia, nem grandes planos. É blefe em cima de blefe e você tentando passar os coleguinhas de mesa para trás. É engraçado que você pode não mentir e perder, mas também pode mentir e perder de primeira. Ele gera muito metagame que pode ser algo negativo ou positivo, dependendo do seu grupo.

Como party game ele se sustenta, mas vai chegar uma hora que a galera vai querer dar uma pausa, tentar outra coisa. O que não dá pra se negar é que ele ainda é um dos melhores jogos de blefe que estão no mercado.

O que gostei em Coup

  • Ótima arte;
  • Jogo rápido
  • Suporta muitos jogadores;
  • Vem com expansão.

O que não gostei em Coup

  • Muito leve;
  • Gera muito metagame;
  • Eliminação de jogador em partidas com muitos players.

.Indicado para

Fãs de party games, jogos de cartas e de blefe.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Publicitário, viciado em jogos de miniaturas, sonha em trocar todos os seus bens por personagens raros de Zombicide.



Voltar ao Topo ↑