Reviews

Publicado em setembro 18th, 2017 | por Francis Weslen

Review – Great Western Trail: aqui o rei é peão!

Review – Great Western Trail: aqui o rei é peão! Francis Weslen
Compreensão das Regras
Componentes
Arte
Estratégia
Envolvimento
Rejogabilidade

Summary:

4.5


User Rating: 0 (0 votes)

Em Great Western Trail você é um rancheiro na América do Norte do século 19, conduzindo bois do Texas a Kansas City. Isso vai te dar dinheiro e pontos de vitória. Para isso você precisará fazer o caminho com muito cuidado, para que você tenha o melhor e mais cuidado rebanho. Também precisará parar nas melhores construções e quem sabe até construir as suas próprias. Não esqueça de contratar também cowboys, artífices e engenheiros, além de fugir de desastres e negociar com os índios. É um deck building, com muitos caminhos para fazer seus pontos.

Componentes

Mais uma bela produção de jogo da Conclave Editora. Como o jogo foi feito todo lá fora na editora original, mantém a mesma qualidade da edição internacional. Que continue assim até que nossos fornecedores consigam esse mesmo padrão de qualidade. Tudo muito lindo:

O que vem na caixa: 1 tabuleiro central, 4 tabuleiros de jogador, 4 fichas de contagem, 92 cartas de gado, 28 cartas de objetivo, 47 fichas de construção, 54 fichas de trabalhadores, 18 fichas de perigo, 22 fichas de cabanas, 5 fichas de mestres da estação, 55 moedas, 4 peões de madeira, 4 locomotivas de madeira, 56  discos (14 por jogador), 4 marcadores de certificado, 1 ficha de mercado de trabalho, 1 manual e 1 bloco de pontuação.

Produção sensacional de GWT

O jogo

Great Western Trail é um jogo de deck building bem divertido cheio de camadas estratégicas, em que você vai transportar gado entre duas cidades. Como euro, ele não te oferece opções de interação direta com os outros jogadores, mas em alguns momentos você poderá atrapalhar o coleguinha.

Cada jogador em seu turno precisará mover o seu peão pela trilha, realizando ações nas construções que vão possibilitar ganhar pontos de vitória, seja colocando fichas de

construção privativas, comprando gado do mercado de gados, aprimorando estações de

trem e removendo perigos.

Sempre que o peão chegar a Kansas City, deverá enviar o seu gado por trem para outra cidade, o que dará pontos de vitória. Na sequência, o peão voltará ao ponto inicial para fazer novamente a mesma coisa. Em uma partida, cada jogador cruzará o tabuleiro de 5 a 7 vezes.

Os pontos serão contados no final da partida, somando os pontos dos símbolos dos vários componentes marcados à sua frente, ou no tabuleiro.Ganha quem fizer o maior número de pontos de vitória.

O tabuleiro de jogador em detalhes

Preparação do jogo

Coloque o tabuleiro central na mesa, embaralhe as fichas de mestre da estação, colocando-as sobre os seus respectivos lugares de forma aleatória e vire-as para cima. Coloque o marcador de mercado de trabalho no topo do mercado de trabalho. Separe as moedas, criando um banco próximo ao tabuleiro.

Separe as fichas de trabalhadores, perigos e cabanas de acordo com o verso e deixe próximo de Kansas City. Revele 7 fichas de número 1 e coloque-as nos respectivos lugares do tabuleiro, nos lugares de menor valor. Depois revele fichas de número 2 e coloque-as no mercado de trabalho, de acordo com a coluna de número de jogadores daquela partida. Preencha de acordo com os números (2 de cada) o espaço de previsão de Kansas City.

Embaralhe as cartas de gado e abra um número delas de acordo com o número de jogadores:  2 jogadores = 7 cartas, 3 jogadores = 10 cartas, 4 jogadores = 13 cartas. Embaralhe os objetivos e abra 4 do monte.

Dê para cada jogador um tabuleiro de uma cor, seu deck inicial e os respectivos marcadores, colocando-os em seus respectivos lugares iniciais. Dê também um objetivo inicial para cada um. Determine o jogador inicial que receberá 6 moedas, em seguida cada um dos outros jogadores recebem uma moeda a mais que o anterior.

Hora de se tornar o rei do gado!

As rodadas

Cada jogador joga seu turno de forma consecutiva, realizando as seguintes fases, nessa ordem: a) mover o seu peão para outro local na trilha, b) usar a(s) ação(ões) do local alcançado e c) sacar cartas para completar o limite da mão de cartas.

a) Mover o seu peão para outro local na trilha

Dependendo da quantidade de jogadores, cada peão pode se mover de 1 até 3 ou 4 espaços. Espaços vazios não contam como espaços, apenas construções, fichas de desastre e cabanas que estiverem no caminho.

Se na ficha houve um sinal de mão verde ou preto, isso significa que o jogador precisará pagar um pedágio. Para saber o valor de cada cor, confira no seu tabuleiro, de acordo com o número de jogadores. Caso o jogador não possua dinheiro para pagar, ele passa sem custos. O jogador pode escolher qualquer lado das bifurcações, mas precisa sempre andar em direção ao fluxo, indicado nas trilhas.

Em uma partida com 2 jogadores, os peões andam inicialmente até 3 espaços

b) Usar a(s) ação(ões) do local alcançado

Existem três tipos de ação que você pode fazer: 1) uma construção neutra ou da sua cor; 2) uma construção privativa de outro jogador, um perigo ou uma cabana e 3) Kansas City.

1) Uma construção neutra ou da sua cor

A maioria das construções possuem duas diferentes ações locais (algumas poucas uma ou três), separadas por uma linha divisória. Você pode realizar cada uma destas ações locais uma vez, em qualquer ordem, mas não precisa realizar todas. Se houver uma barra branca separando duas ações, só é permitido realizar uma delas.. Em alguns espaços de risco existem ações. Quando colocada uma construção ali, ela permite ao proprietário realizar aquelas ações. Caso não deseje, ou não consiga fazer as ações de local, pode fazer uma ação auxiliar que se encontra no tabuleiro do jogador.

As construções vão lhe permitir trocar cartas por dinheiro, ganhar certificados, pegar objetivos, mover a locomotiva, contratar trabalhadores, construir construções, comprar cartas de gado, comprar fichas de desastre, negociar com os índios, fazer uma ação auxiliar dupla, entre outras coisas.

Quando parar em uma construção, o jogador pode fazer as ações que estão ali

2) uma construção privativa de outro jogador, um perigo ou uma cabana

Nesse caso só é possível fazer uma das ações auxiliares.

Quando parar em uma construção de outro jogador, uma ficha de perigo ou cabana só é possível fazer uma ação auxiliar

3) Kansas City

Ao chegar em Kansas City, o jogador precisa realizar 5 ações em fases, movendo o seu peão para cada uma delas, para não esquecer.

Passo 1: escolha 1 das peças do espaço de provisão 1 e coloque-a em seu respectivo lugar do tabuleiro. Os passos 2 e 3 são iguais, segundo os respectivos espaços de provisão. Os trabalhadores sempre são colocados da esquerda para a direita, nas colunas de acordo com o número de jogadores. Quando precisar colocar um trabalhador no marcador de mercado de trabalho, o marcador desce e assim é possível comprar as cartas daquela linha.

Passo 4: revele as cartas da mão e veja quantos tipos de gado diferente existem na mão. O jogador recebe a quantidade correspondente em dinheiro da soma do valor das cartas. As que ainda sobrarem na mão do jogador, são descartadas. O jogador pode gastar os seus pontos de certificado para aumentar a renda e entregar em um lugar mais distante.

Passo 5: pegue um dos seus discos do tabuleiro individual e coloque no selo de uma cidade. Os discos brancos localizados em lugares de fundo branco, podem ser colocados em qualquer cidade. Os de fundo preto, somente em lugares de fundo preto. Ao liberar discos do tabuleiro, novas ações são possíveis de serem realizadas, além de ser possível aumentar a mão e o movimento dos peões. Outra forma de colocar discos no jogo são por meio das estações de trem que ficam ao redor do tabuleiro, abaixo das cidades.

Depois, pague os custos de transporte que corresponde a uma moeda por cruz vermelha entre o nariz do seu trem e a cidade de entrega.

O jogador realiza as ações na ordem, movendo o peão para não esquecer nada

c) Sacar cartas para completar o limite da mão de cartas

Saque do seu deck a quantidade necessária para completar a sua mão, de acordo com o limite que estiver no momento. Caso não existam mais cartas em seu monte, pegue a pilha de descartes, embaralhe e crie um novo deck.

Cartas do jogo

Toda vez que você compra uma carta, seja ela de objetivo ou de gado, vai para o seu descarte. Quando uma carta de objetivo estiver em sua mão, você pode jogá-la para receber os recursos indicados, mas ela a partir de então se torna obrigatória para ser completa. Caso, ela não seja feita, te dará pontos negativos (apenas a de objetivo inicial não dá pontos negativos, mas ela já começa na mesa aberta). Cada carta de objetivo precisa dos seus requisitos de forma exclusiva. Então talvez, para completar alguns objetivos, será preciso mais de uma mesma coisa, como construções, fichas de perigo, cabana de índio, entre outras coisas.

As cartas de boi e de objetivo do jogo

Trabalhadores

No jogo existem 3 tipos de trabalhadores: os cowboys, os artífices e os engenheiros. Os cowboys vão lhe ajudar a comprar cartas de gado, dando descontos na hora da compra. Os artífices vão permitir a você fazer construções mais avançadas no jogo. Já os engenheiros serão responsáveis por fazer com que o seu trem ande mais rápido na trilha entre as cidades.

Os trabalhadores no tabuleiro do jogador

Final de jogo

Quando um trabalhador é colocado no último espaço do mercado de trabalho e o marcador sai do tabuleiro, o jogador pega o marcador e dá início ao final de jogo. Não entram novas fichas de trabalhadores no tabuleiro. Este é o último turno do jogador atual. Depois disso, cada um dos outros jogadores move seu peão e usa o local alcançado.

Quem for para Kansas City, realiza tudo normalmente, exceto que não são colocados mais fichas de trabalhador no tabuleiro. Mas, ainda assim, no final de seus turnos, eles devem completar quaisquer espaços de previsão vazios. Depois de todos os jogadores realizarem a última ação, é feita a pontuação final.

Pontuação final

Pegue o bloco de notas e siga os 11 critérios de pontuação:

1) Dinheiro: 1 ponto a cada 5 de dinheiro. 2) Construções: o jogador ganha os pontos indicados nas construções. 3) Selos de cidade: o jogador ganha pontos pelos selos de cidade. 4) Estação de trem: o jogador ganha ponto por cada disco colocado nas estações de trem. 5) Fichas de Perigo: somam-se os pontos de todas as fichas de perigo. 6) Cartas de gado: todas as cartas de gado do deck que dão pontos são somadas. 7) Cartas de objetivo: as que estiverem no deck, o jogador escolhe se descarta ou se coloca na mesa com as outras, soma-se as que completou, desconta-se as que não foram. 8) Fichas de Mestre de Estação: o jogador conta a pontuação de cada uma delas. 9) Trabalhadores: o jogador ganha 4 pontos para cada trabalhador colocados nos espaços 5 e 6 de trabalhadores de seu tabuleiro. 10) Se o jogador tirou o disco preto de movimento do peão, ganha mais 3 pontos. 11) O jogador que disparou o final de jogo, ganha 2 pontos.

No final de tudo isso, o jogador com mais pontos, vence o jogo.

O marcador de pontos e seus 11 critérios de pontuação

Considerações

Great Western Trail é um jogo sensacional! Mais uma vez o designer Alexander Pfister conseguiu criar uma obra prima da mistura de mecânicas. O deck building, o movimento ponto a ponto e algumas pitadas de set collection e alocação de trabalhador fazem de Great Western Trail um baita jogo!

O deck building dele é bem inteligente, com cartas de gado e objetivo que faz com que cada uma tenha um propósito e justifica o seu uso durante o jogo. Ele oferece a você muitas opções de conseguir a vitória, assim como as trilhas do jogo, o caminho é cheio de alternativas. Você pode investir no deck building, nas construções, nas estações, na entrega, nos objetivos, etc.

A arte é um charme a parte e deixa tudo muito temático e bonito, dando aquela vontade de ficar olhando as peças e tabuleiros, entre outros componentes. A parte ruim é que o jogo pode demorar um pouco. Se você tem pouco tempo, possível que só jogará esse jogo na sua jogatina. Mas, continua sendo uma divertida opção.

Mais uma vez o designer Alexander Pfister mostrou seu talento em criar jogos complexos, divertidos e envolventes. Vale a pena ter ou pelo menos conhecer Great Western Trail.

O que gostei em Great Western Trail

  • Deck building inteligente;
  • Funciona em qualquer quantidade de jogadores;
  • Diversos caminhos para conquistar a vitória;
  • Arte bonita e temática.

O que não gostei em Great Western Trail

  • As partidas podem demorar um pouco.

Indicado para

Fãs de jogos estratégicos, deck building e Alexander Pfister. Recomendado para heavy gamers e jogadores de euro, não indicado para novatos.

Tags: , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Designer, viciado em games digitais, quadrinhos e financiamentos coletivos.



Voltar ao Topo ↑