Reviews

Publicado em abril 2nd, 2018 | por Francis Weslen

Review – Modern Art: a arte de se ganhar dinheiro

Review – Modern Art: a arte de se ganhar dinheiro Francis Weslen
Compreensão das Regras
Componentes
Arte
Estratégia
Envolvimento
Rejogabilidade

Summary:

4.5


User Rating: 0 (0 votes)

Se você é um apaixonado por pinturas, design, arte e afins, vai adorar este belíssimo jogo. Em Modern Art você poderá incorporar um curador de um dos seus museus favoritos. Brinque como gente grande, adquirindo e vendendo belíssimas obras de arte. O melhor de tudo, de artistas reais e com preços exorbitantes que você pode pagar, sem gastar um centavo do seu bolso.

Modern Art

Componentes

Modern Art é um dos jogos que poderia mudar o nome da editora de Cool Mini Or Not para Cool Cards Or Not. Com poucos componentes, o jogo consegue ser rico visualmente com uma caixa compacta e de fácil armazenamento das peças. A arte impressiona, principalmente por ser de artistas reais. O manual ainda traz um breve relato de cada artista e suas obras.

O que vem na caixa de Modern Art: 1 manual de regras, 1 tabuleiro de popularidade, 5 escudos de museu, 70 cartas de pinturas divididas por 5 artistas, 132 fichas de dinheiro, 12 marcadores de valor dos artistas e 1 tile de martelo para o leiloeiro (primeiro jogador).

Modern Art

Um jogo que é uma verdadeira obra de arte

O jogo

Modern Art coloca você praticamente dentro das grandes negociações de obras de arte. Utilizando muita artimanha e a boa administração dos recursos do seu museu, você terá que decidir quais obras vender e quais comprar. Lembrando que as negociações influenciam diretamente na valorização das obras de arte de cada pintor. Dá pra ver que isso será uma tarefa nada fácil.

Modern Art

Tudo pronto. Que os lances comecem!

Preparação do jogo

Antes de mais nada, embaralhe as 70 cartas de pintura e faça a distribuição seguindo as seguintes instruções conforme a quantidade de jogadores:

  • 3 jogadores: 10 cartas cada um;
  • 4 jogadores: 9 cartas cada um;
  • 5 jogadores: 8 cartas cada um.

Após a distribuição, retorne as cartas restantes viradas para baixo na mesa. Elas serão utilizadas posteriormente para “reabastecer” a mão dos jogadores no início de cada rodada.

Coloque o tabuleiro de popularidade no centro da mesa e ao lado, as obras de arte viradas para baixo, moedas e dinheiro.

Agora cada jogador escolhe um escudo que representa um museu e o põe a sua frente. Ele irá esconder seu dinheiro para que nenhum outro curador possa vê-lo durante a partida. Em seguida, distribua $100 (representará 100 mil) para cada jogador que colocará esse dinheiro atrás do escudo. O jogador mais novo recebe o martelo e será o primeiro leiloeiro a escolher uma obra de arte e oferecê-la a venda para os curadores. Assim, os leilões podem começar.

As rodadas

Uma partida de Modern Art dura 4 rodadas. No início da rodada, o leiloeiro da vez, coloca uma (ou mais se for um leilão duplo) obra de arte virada para cima no centro da mesa. Isso indicará que ela ainda não pertence a nenhum dos museus na mesa e será leiloada. Sendo assim todos os curadores, incluindo a pessoa que é o leiloeiro terão a oportunidade de adquirir a pintura.

O leilão acontece de acordo com o tipo da carta colocada no centro da mesa. Cada símbolo representa um tipo de leilão que explicaremos em detalhes posteriormente. É importante seguir o tipo de leilão da carta. O jogador tem o compromisso de pagar pelo valor anunciado, não dá pra voltar atrás ou alterar as regras do leilão. Sempre que for participar de um leilão, nunca dê um lance de valor maior do que possua.

A rodada termina no exato momento que um jogador coloca a quinta pintura do mesmo artista para leilão na mesa. Isso é identificado porque todas as vezes que um curador adquire uma obra de arte, deve-se deixá-la exposta logo a frente do seu escudo. Quando a quinta obra entra em jogo, o último leilão não acontece, simplesmente a pintura é descartada e chega o final da rodada. Vamos explicar o que acontece no final da rodada em seguida. Primeiro vamos conhecer os tipos de leilão que o jogo oferece.

Tipos de leilão em Modern Art

O jogador na sua vez escolhe qual carta jogar e qual tipo de leilão delas. Cada leilão segue sua própria regra. Caso uma obra de arte em leilão não receba ofertas, a mesma vai para mão do leiloeiro sem custo algum. A não ser no preço fixo, neste caso o jogador tem que pagar o valor.

Leilão Aberto

É o tipo de leilão mais conhecido. Aquele que você vê nos filmes. Assim que a carta é aberta, cada jogador aleatoriamente irá fazer seu lance. Ele pode ser coberto por qualquer outro curador, incluindo quem está leiloando. O leiloeiro será o responsável para fechar o leilão, dizendo “dou-lhe uma, dou-lhe duas e dou-lhe três”. Batendo o martelo, o leilão se encerra e o curador que der o maior lance, paga o valor ao leiloeiro. No caso do leiloeiro ser o detentor do maior lance, ele paga ao banco.

Modern Art

O Leilão Aberto é representado por um símbolo de olho

Leilão de Oferta Única

O leiloeiro abre a carta e cada jogador pode dar um único lance. O jogador à esquerda do leiloeiro começa, dando um lance ou passando a vez. Depois, em sentido horário, cada jogador pode cobrir o lance anterior, até chegar no leiloeiro novamente. Aquele que houver dado o maior valor, fica com a pintura, seguindo as mesmas regras de pagamento.

Modern Art

O Leilão de Oferta Única é representado por uma estrela

Leilão Fechado

Neste leilão, todos os curadores deverão separar o valor desejado e colocar em suas mãos. Depois, todos levam as mãos fechadas ao centro da mesa e revelam seus lances ao mesmo tempo. O curador com o maior lance fica com a pintura. Em caso de empate, o curador mais à esquerda do leiloeiro, leva a pintura.

Modern Art

O fechado é representado por um símbolo de cadeado

Leilão de Preço Fixo

Aqui, o leiloeiro irá estipular um valor para a pintura e seguindo o sentido horário, o primeiro jogador que pagar a oferta, fica com a pintura. É uma ótima jogada para quem precisa de recursos imediatos. Mas, lembre-se de que se ninguém pagar pela pintura, o curador terá que ficar com ela. Por isso, o valor tem que ser igual ou menor a quantidade de dinheiro que o leiloeiro possuir.

Modern Art

Este é representado por um símbolo de etiqueta

Leilão Duplo

Ao baixar uma carta, o jogador pode baixar outra carta de leilão, desde que as duas sejam do mesmo artista. A vantagem é que o curador fará a venda de duas obras de arte ao invés de uma. A segunda obra de arte baixada, determinará o tipo de leilão que será feito.

Se acontecer do leiloeiro possuir uma carta de um artista somente e ela for de Leilão Duplo, ele baixa, mas não determina o tipo de leilão que entrará em vigor. Seguindo o sentido horário, outro curador poderá baixar uma carta do mesmo artista. Com isso a carta de Leilão Duplo se torna “propriedade” do jogador que baixou a outra carta de leilão do mesmo artista. No final, quem ganhar, leva as duas cartas e o dinheiro vai para quem comandou o leilão.

Modern Art

Este é representado um martelinho com o x2

Final da Rodada

Modern Art

Ao baixar a 5ª carta do artista Daniel Melin, o jogador encerrou a primeira rodada

Ao final de cada rodada, todos os jogadores avaliam quais os artistas que tiveram mais obras de arte leiloadas. Para isso, contam todas as obras na mesa, inclusive a que determinou o final da rodada. Seguindo as instruções no tabuleiro de popularidade, serão colocadas as moedas na linha que representa cada rodada na coluna do artista seguindo as seguintes instruções:

  • 1° artista com mais obras leiloadas ganha o marcador de 30 (30 mil dólares);
  • 2° artista com mais obras leiloadas ganha o marcador de 20 (20 mil dólares);
  • 3° artista com mais obras leiloadas ganha o marcador de 10 (10 mil dólares).
Modern Art

Nesta rodada ficou assim o tabuleiro de popularidade: 1° Daniel Melin ($30), 2° Rafael Silveira ($20) e em 3° Ramon Martins ($10)

Caso um artista ou mais fiquem empatados, o que estiver mais à esquerda do tabuleiro fica a frente. Em caso de ter menos de três artistas leiloados, apenas os três primeiros  são pontuados no tabuleiro de popularidade. Existe uma linha para cada rodada, que deverá ser marcada na ordem.

Seguindo esse critério, cada obra de arte será vendida pelo valor dos três artistas que estão em destaque naquela rodada. Se você possuir uma obra de arte de um artista que não é um dos três mais populares, infelizmente ela não tem valor de venda. Ela é simplesmente descartada.

Nas rodadas posteriores, o valor das obras são o total de marcadores que aquele artista possuir na tabela de popularidade. Mas, só os 3 artistas mais populares têm valores em suas obras. Os outros, mesmo que em outras rodadas eles tenham recebido marcadores, não vão dar dinheiro na rodada em questão.

Após feitas as vendas, cada jogador irá comprar novas cartas, de acordo com a quantidade de jogadores em cada uma das rodadas. As cartas que restarem em sua mão, continuam até o final de jogo.

Modern Art

 

Final de jogo

Assim que a quinta obra de arte do mesmo artista é colocada a mesa na quarta rodada, o jogo termina. As obras de arte são vendidas fazendo a resolução normal de final de rodada. Sendo assim, todos os curadores revelam os recursos que estão atrás de seus escudos e aquele que tiver a maior soma se torna o jogador vencedor.

Modern Art

Neste caso o vencedor foi o Museu de São Paulo com $1050

Considerações

Modern Art é um jogo adequado para a maioria dos jogadores. Do mais exigente e competitivo, ao mais despretensioso que só está ali pra passar o tempo. O jogo possui mecânicas simples de leilão que conseguem transportar o jogador para dentro dos famosos leilões de grandes museus. Uma boa proposta para ver muitas mesas.

A Cool Mini Or Not está de parabéns pela qualidade de produção, trazendo belíssimas obras de artes estampadas em cartas de formato grande. Confesso que não conhecia os trabalhos dos artistas em questão. Como designer gráfico, foi uma grande surpresa me deparar com isso.

O manual de regras pra mim foi um dos pontos mais fortes nos componentes. Trazendo a história de cada artista e o conceito de suas pinturas. Praticamente um Art Book do game. Eu que adoro comprar livros de arte, já adicionei esse manual na minha coleção.

Foram utilizados 5 museus famosos de cada canto do globo, sendo um deles, o de São Paulo. Isso agrada uma grande parte das pessoas que são da área e apreciadores da boa arte.

Acredito que este jogo possa ajudar muitos jovens na questão da administração e matemática. Você vai precisar controlar as finanças do seu museu. Saber a hora de utilizar o dinheiro, quando parar, repor, analisar a oferta e demanda do mercado, entre outros.

Uma das coisas que particularmente senti falta, foi de uma maior variedade de profissionais, com estilos diferentes de obras de arte. Claro isso é uma decisão do designer e com certeza influencia na mecânica. Mas como um artista, eu queria ter visto mais.

Em resumo, um jogo divertido que vale muito a pena você ter em sua casa ou coleção. Dou-lhe uma, dou-lhe duas e dou-lhe três!

O que gostei em Modern Art

  • Simples, mas com sustância.
  • Obras de arte lindas.
  • Mecânicas ligadas à temática.
  • Extremamente imersivo.

O que não gostei em Modern Art

  • Poucas variedade de artistas.
  • Insert apertado.

Indicado para

Fãs de jogos de leilão, blefe, iniciantes, experientes e até mesmo jovens que curtam o desafio de administrar finanças.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Designer, viciado em games digitais, quadrinhos e financiamentos coletivos.



Voltar ao Topo ↑