Reviews river dragons

Publicado em novembro 11th, 2020 | por Renato J. Lopes

Review – River Dragons: a ponte do rio que cai

Review – River Dragons: a ponte do rio que cai Renato J. Lopes

Notas Tábula Quadrada

Compreensão das Regras
Componentes
Arte
Estratégia
Envolvimento
Rejogabilidade

Summary:


User Rating: 0 (0 votes)

River Dragons é um divertido jogo para toda a família de Roberto Fraga, lançado aqui pela Buró Brasil. O autor é famoso por seus family games divertidíssimos e com muita interação entre os jogadores. Com River Dragons não é diferente. 

Neste jogo, somos jovens no  delta do Mekong que participam de um concurso. Nosso objetivo é atravessar um rio construindo pontes com pedras e tábuas. Será preciso acertar o caminho, escolhendo as ações certas e fugir dos dragões e da astúcia dos seus adversários.

RIVER DRAGONS

Atravesse o rio antes que os outros jogadores. Sim, é simples assim, mas nem tanto. Pra fazer isso, você vai jogar rodadas com movimentos programados por cartas. São 5 cartas por rodada e cada carta que você escolheu e não consegue fazer, vai possivelmente sofrer alguma penalidade. Ainda tem os outros jogadores tentando impedir que você alcance o seu destino.

Vai começar mais uma partida!

Fluxo do Jogo

O tabuleiro fica no centro da mesa e os jogadores escolhem personagens de acordo com a quantidade de participantes. No tabuleiro está indicado quais lugares estão disponíveis para cada quantidade de jogadores. 

Componentes de um jogador

Existem 2 lados do tabuleiro. No básico, existem os lugares das pedras e no avançado não tem essas marcações. Isso é para partidas para jogadores mais experientes, pois vão ter que encontrar o espaço das pedras no olho.

Cada jogador recebe as peças de madeira e o personagem da sua cor, além do conjunto de cartas. Para jogos com menos que 6 jogadores, será preciso eliminar do baralho de cada um, as cartas de dragão das cores que ficaram de fora do jogo.

Começando o jogo

Posicione o seu habitante na sua vila de origem e está tudo pronto para jogar. O seu objetivo é chegar na vila de destino, que está indicada no tabuleiro, ao lado da sua vila inicial. O jogador mais novo pega a carta de primeiro jogador. 

A cada rodada, os jogadores vão selecionar 5 cartas das disponíveis em sua mão e colocá-las em ordem, que não poderão ser mudadas ou substituídas durante o turno. Depois, vão revelá-las e a partir do primeiro jogador fazer a ação se possível. 

No final da rodada, todas as cartas voltam para a mão e se inicia uma nova rodada. O jogo termina assim que um dos jogadores chegar a vila de destino, com esse jogador sendo o vencedor da partida.

As cartas de ações

Vamos falar sobre as cartas de ação e como cada uma funciona.

As cartas de ação

Colocar pedras

Existem cartas para colocar 1 ou 2 pedras. O jogador pega a pedra do estoque e posiciona sobre um dos espaços de pedra do tabuleiro. Não é permitido medir com peças. Ele precisa olhar a distância e posicionar a pedra.

Tudo começa com as pedras sendo colocadas

Colocar tábuas

Também existe 1 carta para colocar 1 tábua e outra para colocar duas. O jogador tem que pegar uma de suas tábuas do seu estoque pessoal e posicioná-las, também sem medir. Ela precisa estar conectada entre pedras e/ou vilas. Cada pedra e vila podem conter no máximo 3 tábulas. Caso uma tábula seja menor que o espaço selecionado, a peça de tábula do jogador vai para a caixa do jogo e o jogador perde ela nessa partida. 

As tábuas precisam fazer o caminho certo

Remover pedra ou tábua

O jogador pode remover uma pedra ou tábua e coloca em seu estoque, desde que a tábua não contenha nenhum personagem e a pedra não tenha uma tábua em cima. O jogador pode retirar tábuas de qualquer cor, mas ele só pode ter 2 cores em seu estoque e só pode ter 1 tábua de cada número.

Movimento

Os jogadores tem 1 carta de 1 e outra de 2 movimentos. Cada movimento é contado quando ele movimento o seu personagem para uma ponte ou vila vazios. Não é possível entrar em um espaço que já tenha outro personagem. Caso o jogador não consiga fazer o movimento, ele cai no rio e volta na sua vila inicial. Ele também cai no rio, caso ele não consiga fazer os dois movimentos.

Em alguns momentos é preciso correr

Salto sobre peão

Essa carta é considerada como uma carta de 2 movimentos, pois o jogador precisará passar pelo espaço que tem 1 personagem e ir para o espaço seguinte. Caso o jogador selecione essa carta e não faça a ação, o seu personagem cai na água e volta para a vila inicial.

River Dragons
Pular também é preciso

Dragões

Existem cartas de dragão na cor de cada jogador. Ao escolher aquela carta, o jogador cancela a ação do player daquela cor, naquela exata posição, entre as 5 cartas da rodada. Os jogadores só podem jogar 1 dragão por rodada. Um dragão não cancela outro dragão.

CONSIDERAÇÕES SOBRE RIVER DRAGONS

Como todo jogo do Roberto Fraga, River Dragons é muito divertido e ótimo para jogar com a galera. Ou seja, para ele funcionar bem, é preciso jogar acima de 4 jogadores, pois aí, a briga vai ser mais acirrada. Com poucos jogadores, o tabuleiro fica mais frouxo e a disputa fica mais simples.

A produção do jogo é maravilhosa, só por isso já vale ter o jogo na sua coleção. Ele tem regras simples e fáceis, o que dá uma abrangência do jogo na mesa. Com dez minutos de explicação, todos conseguem jogar de igual para igual uma partida.

Agora, para vencer, o caminho é um só: executar sua programação da forma mais eficiente. Quem conseguir fazer isso, terá mais chances de ganhar. Ou seja, vai depende de cada partida e da mesa com quem você está jogando.

As cartas que bloqueiam ações atrapalham bastante e podem estragar toda a sua programação para a rodada. Por isso, é importante tentar se planejar para evitar ter grandes prejuízos, de repente colocar até uma carta de blefe, ou de uma ação que não tem erro que é de colocar a pedra.

Certo é que quanto mais próximo você estiver do objetivo, mas os outros jogadores tentarão te sabotar. Então é preciso tomar cuidado e também não deixar os seus adversários muito na frente. Isso pode trazer um problema e alongar a partida um pouco a mais do que você espera para um family game. 

River Dragons
Quem chegará primeiro?

Bash the leader

Sim, o “bash the leader” (bata no líder) faz com que o jogo se alonge e pode acabar tirando um pouco da diversão. Claro que não vai alongar como uma partida de Munchkin, por exemplo, vai ser uma questão de minutos.

Mesmo que você comece a partida muito ruim e aparentemente não tenha chances de vencer, pode acontecer de alguém cair no rio e você voltar para a partida. É um jogo de reviravoltas.

River Dragons
Ao vencedor a coroa!

O que gostei em River Dragons

  • Arte;
  • Produção;
  • Mecânicas
  • Tempo de jogo.

O que não gostei em River Dragons

  • Não funciona muito bem com menos de 4 jogadores.
  • O jogo pode se arrastar e demorar demais por conta do “bash the leader”.

Indicado para fãs de jogos:

  • De movimento programado;
  • Família;
  • Com interação direta;
  • Arte bonita e bela produção.

Tags: , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor

Publicitário, viciado em jogos de miniaturas, sonha em trocar todos os seus bens por personagens raros de Zombicide.



Voltar ao Topo ↑