RPG

Publicado em agosto 19th, 2016 | por Rafa Almeida

Veridiana e Cachorros Samurais: narrativa compartilhada

Conheça dois jogos de narrativa compartilhada de Alan Silva: Veridiana e Cachorros Samurais. O primeiro está em financiamento coletivo no Cartarse, o segundo foi impresso no ano passado e está esgotado, caso Veridiana seja financiado, Cachorros Samurais será reimpresso e virá junto para os apoiadores como bônus! Saiba mais sobre os dois livros abaixo.

Veridiana

Veridiana-1-low

Mockup da capa do livro em financiamento

Veridiana é um Story Game, ou seja, um jogo onde os jogadores irão narrar uma história de forma compartilhada. Grosseiramente falando, contarão uma história juntos. O jogo segue a mesma linha de Fiasco, Violentina e Pulse. Criado por Alan Silva, Veridiana é o terceiro jogo de um Manual para contar histórias, e está em financiamento coletivo pelo Catarse.

Em Veridiana, os jogadores assumem papel de criaturas maravilhosas e com aparências feéricas, que estão exiladas de seu lar (A Grande Árvore), devido a uma enfermidade que faz com que seus cabelos caiam (os cabelos são a força vital destas criaturas). A única esperança está em alcançar Veridiana, um lago mítico ao norte que dizem ser capaz de curar toda e qualquer doença, para então retornarem ao seu lar restaurados.

O jogo se baseia na leitura compartilhada do manual, que fornece as regras para administração dos dados (o jogo utiliza um total de 25 dados de seis faces) e gerenciamento dos personagens. O jogo introduz a história e os jogadores a continuam. Comporta até 4 pessoas e tem duração média de 45 minutos. O jogo se desenrola alternando entre o livro base e os detalhes criados pelos personagens para ultrapassarem os desafios, que devem ser criados em conjunto entre os jogadores. Durante a partida a quantidade de dados vai se alterando entre os personagens e caso algum dos jogadores “perca” todos os seus dados significa que seu cabelo inteiro caiu, e ele infelizmente não pode continuar a jornada.

Vale ressaltar que Veridiana não é um RPG (Role-Playing Game), mas tem um forte elemento narrativo, e pode abraçar todo e qualquer tema além da história base que vem no manual, permitindo aos jogadores criar várias outras histórias, o que torna o jogo extremamente versátil e uma ferramenta muito útil para introduzir novos jogadores e crianças aos jogos narrativos e de interpretação.

Cachorros Samurais

379ff86f36461b50eba046e67ade2f96

Uma das ilustrações da reimpressão

Cachorros Samurais foi o primeiro jogo publicado pela House Rules, participante do concurso Faça Você Mesmo da Secular Games, e do mesmo criador de Veridiana, Alan Silva. O jogo é muito original e o cenário é o Japão Feudal, por volta de 1185 no início do Período Kamamura. Temos nesse mundo cachorros e até gatos ocupando a posição de samurais, ninjas, damiôs e até de imperador !

O jogo é simples sem ser simplista. Traz uma proposta de experiência narrativa compartilhada em que cada um dos jogadores assume um papel determinante dentro da história,e é responsável por manter a coerência da aventura iniciando onde outro jogador terminou. Obrigatoriamente um dos jogadores será o Sensei (mestre), outro será o Lobo (vilão da história) e os outros, discípulos honrados do Dojo que irão buscar perfeição na arte da luta marcial, paz e serenidade interior e viver o Bushido (código de honra samurai japonês). O Sensei é que vai ditar os desafios e objetivos guiando seus discípulos.

Não existem classes, mas os jogadores podem escolher a “raça” de seus personagens, como dobbermans, akitas, chow-chows ou vira-latas. E estes personagens tem apenas três características: disciplina, honra e técnica.

A disciplina é basicamente sua habilidade de resolver desafios sociais. O quanto você é disciplinado para com o seu Sensei e isso pode ser usado para conseguir biscoitos (vamos explicar os cookies mais a frente) na realização de ações. A honra, é o atributo que maximiza a quantidade de biscoitos que um personagem pode ter, além de medir sua fama, prestígio e reconhecimento no Dojo e na sociedade. E por último a técnica que é a eficiência e qualidade dos golpes aprendidos pelos personagens.

No jogo existem duas maneiras de melhorar os atributos básicos e aprender novas técnicas. Uma delas é sendo recompensado pelo Sensei a outra é ganhando biscoitos (que podem deixar os personagens abanando o rabo de tanta felicidade). Basicamente, os biscoitos são os pontos de experiência do jogo, podendo ser trocados por melhorias em atributos, aprender novas técnicas, curar ferimentos, armas novas, ou até uma ida ao petshop! Além de  todo tipo de melhoramento físico ou mental que é basicamente o principal elemento RPG do jogo.

Como estamos falando de Bushido, a honra é muito estimada em Cachorros Samurais. Apesar dos personagens andarem em quatro patas, se coçarem ou rasgar o jornal de manhã, a conduta dos personagens será determinante para o sucesso ou fracasso de todo o grupo. Inclusive, o jogo permite que os jogadores roubem biscoitos, ou acumulem mais do que poderiam, mas um dos principais desafios é conseguir manter a honra samurai, e desrespeitar isso traz sérias consequências, como ter os biscoitos apreendidos pelo Sensei, ou ser rebaixado no Dojo. Afinal ninguém disse que seria fácil ser um Cachorro Samurai.

O financiamento coletivo de Veridiana, inclui em suas recompensas Cachorros Samurais. Ambos os jogos tem seus playtests disponíveis para download gratuitos no site Inseto Vermelho, além de outras informações pertinentes aos jogos e extras.

Espero que tenham curtido e nós do Tábula Quadrada estamos na torcida para que o financiamento seja bem sucedido. Bom jogo a todos!

Tags: , , , , , , , , , ,


Sobre o Autor



Voltar ao Topo ↑